Projeto Mentoria Contínua – Definindo Missão e Valores
26 de novembro de 2020
Exibir tudo

Projeto Mentoria Contínua – Definindo Visão e estratégia

A sua startup é o sonho da sua vida! Você sempre pensou em trabalhar a sua ideia e resolver alguma questão elementar da sociedade. Essa aspiração pode leva-lo muito longe. Contudo, até no momento de ambicionar algo maior, são necessárias métricas. É imprescindível que a sua startup possua mecanismos para medir qualitativa e quantitativamente o seu percurso e os seus objetivos finais. Para isso, nada pode começar sem que a definição de visão seja algo claro e concreto. A partir da definição de visão, você pode arquitetar e planejar uma estratégia coesa e lógica de atuação. Muito se fala de visão e estratégia e essas palavras são vulgarmente utilizadas em qualquer palestra ou evento de empreendedorismo.

 

A visão é o sonho traduzido em palavras

Você sempre quis ter a sua própria empresa e finalmente parece que sua startup está ganhando pernas para andar. Mas você sabe definir exatamente onde você quer chegar com sua organização? Você sabe definir o tamanho do seu sonho? Se a resposta é não, a solução para ajuda-lo é procurar mentoria. Se a resposta é sim, então mãos à obra, caneta na mão e dê asas aos seus anseios. Enquanto a missão reflete um posicionamento inerentemente interno, a visão apresenta uma percepção externa. A definição de visão representa a antevisão ambicionada para o futuro. Saber exatamente onde se quer chegar, gera impacto na forma como você trabalha e como os seus parceiros e colaboradores se motivam para ajudá-lo a atingir metas. Na verdade, a definição de visão torna os objetivos comuns e não apenas as ambições dos fundadores ou impulsionadores. O estabelecimento de uma visão para a sua startup espelha a credibilidade da sua organização, na medida em que seus clientes e parceiros sabem onde a sua empresa quer chegar e os motivos pelos quais ela abre as portas todos os dias. Definir visão implica uma total articulação com a sua identidade e metas. A disseminação desse entendimento mostra ao mundo o seu valor e empenho.

A intenção estratégica é fundamental, pois contém a ideologia central da empresa, ou seja, os alicerces da estratégia que são: o Negócio, a Missão, os Princípios / Valores, e a Visão de Futuro.

Pontos de partida

“Nossas pesquisas mostraram que um elemento fundamental para o funcionamento perfeito de uma empresa visionária é uma ideologia central – valores centrais e um objetivo além de simplesmente ganhar dinheiro – que orienta e inspira as pessoas em toda a organização e permanece praticamente inalterada durante muito tempo.” – do livro: Feitas para Durar: Práticas bem sucedidas de empresas visionárias – J. Collins e J.Porras – Editora Rocco

A intenção estratégica influencia o comportamento e as atitudes dos colaboradores.

Negócio: O que nossa organização se propõe a fazer?

“Se queremos saber sobre um negócio, temos que começar com um propósito. E o seu propósito deve estar fora do negócio em si. Na verdade, ele deve estar na sociedade, pois uma empresa é um órgão da sociedade ….. lucro não é a explicação, causa ou razão de comportamento de negócios e decisões de negócios, mas o teste de sua validade.“ – Peter Drucker

Um negócio precisa ser visto como um processo de satisfação do cliente e interessados, não como um processo de produção de mercadorias. Ele deve buscar atender às necessidades demandadas pela sociedade e não se focar em produtos que são transitórios.

Por exemplo, algumas ferrovias acreditavam que estavam no negócio ferroviário, com isso deixaram de prestar a atenção a outros meios de transporte. Algumas empresas da indústria petrolífera viam seu negócio como sendo apenas o de extração de petróleo, com isso deixaram de ver outras formas de produção de energia.

Conceito Restrito versus Conceito Amplo de Negócio:
• Xerox: de “fazer copiadoras” para “aumentar a produtividade de escritórios”
• Standar Oil: de “vender gasolina” para “fornecer energia”
• Columbia Pictures: “de “fazer filmes” para “comercializar entretenimento”
• Revlon: de “vender cosméticos” para “oferecer beleza”

Evolução do conceito de Negócio da IBM:
• Início da década de 50: computadores.
• Final da década de 50: processamento de dados
• Inicio da década de 60: manipulação de informações.
• Final da década de 60: solução de problemas de processamento de dados.
• Inicio da década de 70: minimização de riscos
• Final da década de 70: desenvolvimento de alternativas
• Década de 80: otimização de negócios
• Inicio da década de 90: desenvolvimento de novos negócios das empresas
• Final da década de 90: oferecer soluções criativas e inovadoras para as necessidades de informação dos clientes.

Qual o Ramo / Setor de atuação? Qual é o negócio da empresa?